Quais as diferenças entre MEI, Microempresa e Pequena empresa?

Quais as diferenças entre MEI, Microempresa e Pequena empresa?

Você está pensando em abrir ou regularizar o seu negócio, mas ainda está em dúvida sobre aonde ele se encaixa? Então se esse é o seu problema ele já acabou, pois na matéria de hoje vamos explicar quais as diferenças entre MEI, Microempresa e Pequena empresa. Assim você conseguirá saber exatamente qual é o seu tipo de negócio.

MEI

MEI dirigindo seu negócio

Como já falamos em outros artigos aqui do blog, o MEI ou Micro Empreendedor Individual é a pessoa autônoma se regulariza como Micro empresário. Além disso, pode ter apenas um funcionário e não pode ser socio, administrador ou líder de qualquer outra empresa.

Os bens pessoais e da empresa se misturam perante a lei. E o regime tributário é o Simples Nacional. Não é necessário investir uma quantia certa de capital. Então você pode abrir um MEI com R$ 1.000 mil reais por exemplo.

Também o governo cobra somente uma guia de imposto que tem valor fixo para cada atividade econômica, como: R$ 52,70 para prestação de serviços, R$ 53,70 para atividades mistas e R$ 48,70 para comércio ou indústria.

O teto anual de faturamento é de no máximo R$ 81.000 mil. Sendo necessário apresentar a escrituração contábil comprovando a receita. E também não é permitido ter sócios aos optantes do MEI. 

Microempresa

Pequena empresa

A Microempresa é uma sociedade empresária, sociedade simples de responsabilidade individual e limitada. Na Microempresa pode ter até 9 funcionários nos ramos de comércio e serviços ou 19 funcionários nos ramos de indústria ou construção. E é necessário investir o valor de até 100 salários mínimos com a correção do ano no capital da empresa.

O faturamento máximo anual é de R$ 360 mil. Como a Microempresa é de responsabilidade limitada os bens da empresa são separados dos bens pessoais perante a lei. Os regimes tributários podem ser o Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro real. Por isso o valor dos tributos varia de acordo com o regime escolhido.

Além do mais na Microempresa é possível ter sócios e também ser sócio em outra empresa.

Pequena empresa

Pequena empresa

A Pequena Empresa ou Empresa de Pequeno Porte (EPP) assim como na Microempresa é uma sociedade empresária simples e de responsabilidade individual e limitada. E também é necessário investir o valor de até 100 salários mínimos com a correção do ano no capital da empresa.

Mas as principais diferenças entre elas se dão pelo número de funcionários e faturamento.

Em Empresas de Pequeno Porte pode empregar de 10 a 19 funcionários nos ramos de comércio ou serviço e de 20 a 99 funcionários nos ramos de indústria ou construção. E o faturamento anual deve ser superior a R$ 360 mil e inferior a R$ 4.800.000 milhões.

Os bens da empresa também são separados dos bens pessoais perante a lei. Além disso também pode escolher entre os regimes tributários Simples Nacional, Lucro Real e Lucro Presumido.

Em empresas de Pequeno Porte pode se ter sócios e ser sócio em outra empresa.

Outra coisa importante é que se o seu negócio faturar menos de R$ 360 mil anual automaticamente ele passa a ser Microempresa, mesmo que você tenha cadastrado como Empresa de Pequeno Porte. E assim também se o seu negócio faturar mais de R$ 4.800.000 milhões, ele passa a ser uma empresa de Médio Porte automaticamente.

Então planeje bem como será a sua empresa, para evitar pagamentos de multas e taxas desnecessárias.

Informações importantes

Microempreendedor

Se você já é leitor ou leitora de carteirinha aqui do blog sabe que sempre recomendamos a contratação de um bom contador para te ajuda com o seu negócio. Então o ideal é antes mesmo de abrir o seu negócio, seja ele MEI, ME ou EPP converse com o seu contador e esclareça as suas dúvidas com ele, principalmente quanto os tipos de tributação.

Vale a pena regularizar o meu negócio?

Empresária feliz

Você deve ter notado que para regularizar o seu negócio é necessário realizar pagamento de impostos e em alguns casos investir dinheiro no capital da empresa. Além disso também é preciso contratar contador e de vez em quando algum outro tipo de serviço. Então pode surgir dúvidas quanto se realmente vale a pena regularizar o negócio ou se é melhor manter a informalidade.

A resposta curta e grossa: Com certeza! Mas porquê?

O governo tem uma série de incentivos aos MEIs, Micro e Pequenas empresas. Então quando você regulariza a sua empresa têm acesso a esses benefícios, como por exemplo os empréstimos, financiamentos e acesso a mais crédito na praça. Desse modo você e o seu negócio tem apoio para continuarem funcionando mesmo que possa ter uma baixa nas vendas ou crises econômicas.

Além disso por ter a sua empresa regularizada você também pode receber auxílios governamentais como o salário-maternidade, auxílio-doença, auxílio por invalidez, aposentadoria, auxílio por morte e auxílio reclusão.

Então ao regularizar o seu negócio você além de ter apoio e incentivo financeiro para continuar também tem direito a benefícios caso precise. Além do mais o seu negócio funciona de maneira mais profissional. Afinal pode emitir notas fiscais e ter um CNPJ, assim passa até mesmo mais credibilidade ao seu cliente.

Assim para resumir: os benefícios são maiores que os gastos que você possa ter.

Espero que a matéria de hoje tenha te ajudado a saber aonde o seu negócio se encaixa ou aonde ainda vai se encaixar e te auxiliado também a economizar com taxas desnecessárias e assim aumentar ainda mais o faturamento do seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *